Portal JNMT
Portal JNMT
NOTICIAS

Neurilan insinua que Taques deve ser cassado e bate-boca com Max em reunião

Data: Segunda-feira, 13/11/2017 07:26
Fonte:
Foto: Reprodução

Terminou em "bate-boca" a assembleia-geral de prefeitos, realizado na Associação Mato-Grossense dos Municípios, na manhã desta sexta (10). O clima esquentou após o presidente da AMM, Neurilan Fraga, perguntar ao secretário-chefe da Casa Civil Max Russi se o governo está fazendo apropriação indébita e alegar que a ex-presidente da República Dilma Rousseff foi cassada por coisas muito mais simples. “E o governador Pedro Taques falava todos os dias nos jornais que tinha que cassar a Dilma”, criticou Neurilan.

Na sequência, ele reclamou que quando alguém levanta a possibilidade de afastamento de Taques, o governo tem uma reação contrária. “Então está se matando pelo próprio veneno”. Após uma breve pausa, Neurilan tentou amenizar, ressaltando que “ninguém saiu falando em cassar”, contudo, Max se manifestou afirmando que se recusava a politizar a reunião.

“Se for para politizar, aí eu fico até chateado de ter vindo aqui. Porque eu vim para tentar construir uma pauta positiva. Você é candidato a deputado federal e nós não podemos partir para esse lado. Estou respeitando a sua liderança, mas se for para politizar eu não concordo com isso”, acrescentou o secretário.

Para "abafar" a situação, Neurilan tornou a pontuar que ninguém havia falado em cassação. “Quem falou em cassação? Ninguém falou. Você que está colocando”. Em seguida, Max deixou a reunião.

Atraso no repasse

O questionamento sobre apropriação indébita que Neurilan fez foi em referência ao repasse do ICMS aos municípios. Ele explicava aos prefeitos que o valor pago todas às terças é arrecadado na semana anterior, portanto, não haveria motivos para atrasos.

“O ICMS que nós estamos reclamando, 100% o Estado arrecadou na semana anterior. Ele não tem o dinheiro da semana seguinte, que está arrecadando ainda. Mas o ICMS dos municípios ele arrecadou lá atrás, então não se justifica ele não ter todo o dinheiro”, pondera.

Presentes

O encontro teve início às 8h e seguiu até por volta das 12h30, e conseguiu reunir 65 dos 141 prefeitos. Além de Max e Neurilan, entre os presentes estavam os senadores Wellington Fagundes (PR), José Medeiros (Podemos), deputados federais Victório Galli (PSC), Carlos Bezerra (PMDB),  Ságuas Moraes (PT), Valtenir Pereira (PSB), e deputados estaduais Valdir Barranco e Allan Kardec, ambos do PT; Nininho (PSD), Janaina Riva e Silvano Amaral - os dois do PMDB. 

Eduarda Fernandes e Tarso Nunes RDnews

PUBLICIDADE