Portal JNMT
Portal JNMT
NOTICIAS

Cruz Vermelha quer ambulância para socorro na Estrada da Chapada

Data: Segunda-feira, 23/10/2017 07:54
Fonte:
Foto: Reprodução

A Cruz Vermelha de Mato Grosso, que, assim como internacionalmente, faz trabalhos voluntários e humanitários, tenta há 1 ano implantar um projeto simples, mas que poderia salvar vidas na estradas da Chapada (MT-251), Acorizal (MT-246) e Santo Antônio do Leverger (MT-040).

 

A ideia é manter, aos finais de semana, das 10h às 22h, iniciando pela estrada da Chapada, 1 ambulância e duas motolâncias em ponto estratégico, para socorrer possíveis vítimas de acidentes.

"Do jeito que está hoje, nestas estradas, se for esperar o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegar, a pessoa já morreu", lamenta o presidente da Cruz vermelha em Mato Groso, coronel reformado Dival Pinto Martins Corrêa.

Ano passado, voluntários da Cruz Vemelha chegaram a fazer um dia de experiência, que teve um custo de R$ 1.5 mil pago por um empresário do ramo da educação. A entidade sobrevive de doações assim.

"Ficamos no entroncamento para Chapada e Manso e atuamos com apoio da Polícia Militar", explica o presidente.

 

Arquivo

São 97 milhões de voluntários no mundo

"Não socorremos ninguém naquele dia e queremos mesmo que os acidentes não ocorram, mas, para uma família, que vai utilizar essas estradas, sabe que tem uma ambulância ali segue muito mais tranquila e, se os acidentes forem inevitáveis, estaremos lá", acredita.

 

Dos 97 milhões de voluntários da Cruz Vermelha que atuam no mundo, na entidade local há cerca de 80 voluntários prontos para fazer estes plantões. Mas para isso o governo do Estado precisaria comprar os veículos.

 

"Conversei pessoalmente com o governador e pelo que sei o projeto está na mesa do secretário da Sinfra", diz o presidente da Cruz Vermelha, se referindo ao secretário Marcelo Duarte.

 

Gazeta Digital questionou a Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra) sobre a possibilidade do projeto humanístico sair do papel, mas a informação de lá é que esta conversa entre as partes ainda é muito inicial e não há previsão para viabilização da iniciativa.

Gazetadigital

PUBLICIDADE